Escolha uma Página
Você sabe por que Florianópolis é conhecida como a Ilha da Magia?

Você sabe por que Florianópolis é conhecida como a Ilha da Magia?

Muitos mistérios rodeiam Florianópolis, tanto que lhe deram o apelido de “Ilha da Magia”.​ Mas você sabe por que ela recebeu esse nome?

Curiosos, abrimos nossos tesouros com os livros mais antigos e reunimos algumas histórias para descobrir quais são os seres mágicos que habitam esta terra. 

Os primeiros registros são das bruxas. Diz a lenda que na Ilha de Santa Catarina, elas assustavam pescadores, roubavam barcos e escondiam suas tarrafas. Dar nós nas crinas dos cavalos também era outra especialidade que intimidava até os mais corajosos. 


Por isso, foram escritas algumas dicas para reconhecer uma bruxa: se for apresentada a alguém, ela estenderá a mão esquerda para cumprimentar. Um dos nossos livros também diz que, quando alguém chega a Florianópolis, deve pedir licença às bruxas, principalmente se pretende ficar por muito tempo. 

Há relatos de passagens das bruxas por toda a Ilha, mas o bairro Itaguaçu é o que registra mais histórias. Nele, elas teriam organizado uma grande festa, mas não convidaram o diabo. Com raiva, ele transformou todas em pedras, que estão até hoje no mar.


Existe também a história da Gruta do Monge, um homem que apareceu misteriosamente, curava doenças e ensinava receitas de remédios naturais. Um dia, ele não foi mais encontrado, ficando apenas a lembrança de quem o conheceu.

No Ratones, escondiam-se os lobisomens. Há muito tempo, contava-se a história de uma mulher que sempre era incomodada por um cachorro que latia quando ia dar banho em seu filho. Um dia, ela se irritou e expulsou o animal, que avançou e arrancou um pedaço da saia da mulher. 

No dia seguinte, ela reparou que o marido tinha passado a noite fora de casa e chegou com fiapos da cor do tecido que foi rasgado presos nos dentes. A partir desse dia, a maldição foi quebrada e o homem deixou de se transformar. 

No Ingleses e Rio Vermelho, os moradores contam que uma luz vermelha em formato de bota aparece e some misteriosamente. Ninguém sabe ao certo o que ela é ou o que faz, mas todos a evitam quando aparece. ​

Apesar de todas as histórias e lendas que habitam a região, nós, bravos guerreiros piratas, navegamos em águas misteriosas desde os tempos mais antigos e não tememos nenhum perigo!​


Venha para Florianópolis desbravar todas as aventuras e faça parte da nossa tripulação!

É dia das bruxas!

É dia das bruxas!

 Pegue sua espada e venha desbravar nossa Ilha nesse dia de muita magia.

O dia das Bruxas é conhecido, principalmente, pelas comemorações do Halloween nos Estados Unidos, mas é também uma data comemorada em vários países, inclusive no Brasil. 

Nossa cultura é rica de histórias, nosso folclore é lindo! Deve ser lembrado e passado às gerações futuras, já que nem todos conhecem os encantos dos personagens brasileiros.  

Hoje vamos falar um pouco sobre o menino de uma perna só, que corre mata à dentro, o Saci Pererê

Sempre pulando em uma perna só e de capuz vermelho na cabeça, vive na mata protegendo-a. Às vezes pregando peças, escondendo objetos, abrindo armários, ou virando copos, mas quase sempre fazendo o bem. Muitas vezes é invisível, mas quando permite ser visto, quem consegue vê-lo diz que é negro, sem pêlos pelo corpo e cabeça e que carrega consigo um cachimbo. 

O redemoinho é uma de suas obras, e muitos dizem que é possível capturá-los nessa ocasião, basta jogar uma peneira no centro do redemoinho e colocá-lo numa garrafa sem o gorro, pra que ele perca seus poderes. 

O saci pode viver 77 anos, depois de sua morte ele vira um cogumelo venenoso, ou aqueles que nascem em troncos de árvores, chamados “orelha-de-pau”

Você conhecia a lenda do Saci, Marujo? 

Qual o seu personagem favorito do folclore brasileiro? 

Deixe aqui nos comentários que falaremos sobre ele nos próximos posts. 

ILHA DO FRANCÊS – VAMOS ATRACAR NO PARAÍSO

ILHA DO FRANCÊS – VAMOS ATRACAR NO PARAÍSO

Uma das paradas das nossas embarcações é na Ilha do Francês, uma pequena e linda ilha localizada na ponta sul da Praia de Canasvieiras. 

Na sua história, em 1884 foi datado o primeiro registro de ocupação e desde então a propriedade é dada por particular. A Ilha é conhecida por muitos nomes, incluindo Ilha do Inglês e do Argentino, sempre de acordo com seus donos. 

Depois de 1938 a Ilha pertenceu a Antônio Muniz Barreto, um argentino que amava orquídeas e era apaixonado pelo lugar. Ele trouxe flores raras e importadas para aumentar ainda mais a beleza do orquidário que já existia na Ilha.

Sua paixão pela Ilha era intensa. Dizem, os empregados da família, que ele queria morrer e ser enterrado nela, mas quando ficou doente os filhos não o trouxeram mais. Porém, quando adoeceu os filhos realizaram seu último deseja e o trouxeram para visitar o seu lugar especial. Empregados contam que António chorava de tanta emoção. Sua vontade de ser enterrado na Ilha não pode ser realizada, mas a linda e encantadora Ilha ainda pertence à família dos Barretos. 

foto: vivendofloripa.com.br

Você já foi à Ilha do Francês, Marujo? 

Que tal atracar lá com nossa tripulação? 

Te esperamos para zarpar!

Conheça Santa Catarina e sua história!

Conheça Santa Catarina e sua história!

Atenção, Marujo!

Você está em busca de aventura em alto mar, diversão e muita magia? 

Venha visitar o passado e reviver a história Catarinense com a Escunas Pirata!​

Desembarque na Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim e viaje no tempo! ​

Uma construção do século XVIII com uma beleza sem igual. 

Um Patrimônio Histórico e administrada pela UFSC, a Fortaleza permanece intacta e com um charme que encanta à todos que a visita.​

A Fortaleza está localizada na Ilha de Anhatomirim, e foi a principal fortificação do antigo sistema defensivo da Ilha de Santa Catarina, além de ter sido a primeira sede do Governo da Capitania de Santa Catarina. Seu projeto foi feito pelo brigadeiro José da Silva Paes em 1739. Ficou anos abandonada, sem cuidado algum, até ser restaurada nas décadas de 70 e 80 pela Universidade de Santa Catarina (UFSC), quem à administra até hoje. 

Prontos pra atracar nessa história incrível que marcou época? 

Em nossos passeios você conhece um pouco mais das histórias da Ilha de Santa Catarina e do Brasil!​

Obs: grupos com mais de 20 pessoas possuem benefícios e descontos! Junte a galera e venha para a Escunas!

Entre em contato para mais informações: ​

Telefone ou nas redes sociais.

(48) 98428-8541⠀​

(48) 3266-1911

Os 5 piratas mais conhecidos da vida real

Os 5 piratas mais conhecidos da vida real

Atenção para zarpar para a próxima história, Marujo!

Todos prontos? 

Em um passado não tão distante, os piratas eram verdadeiramente temidos e muitos deles fizeram história e marcaram época. Vamos conhecer algum deles?

. William Kidd – Escocês (1645 – 1701):

Foto: Wikipedia

Inicialmente um corsário, William era um elegante cidadão escocês. De tanto tentar se livrar dos piratas, acabou se tornando um. Foi eleito capitão por sua tripulação e foi capturado em Boston, quando foi condenado à morte na forca. 

. Edward Teach – Barba Negra – Inglês (1680 – 1718):

Foto: Walmart

Barba Negra foi um dos piratas mais conhecidos, e ainda é até hoje. Um dos mais temidos em sua época, ela comandou navios piratas e tinha um exército de mais de 300 piratas. Enfrentava batalhas temidas, mas não deixava de lado o espírito mulherengo. Embora tivesse várias mulheres ‘não oficiais’, ele foi casado apenas com uma de 16 anos, apenas. 

. Bartholomew Roberts ou Black Bart – Inglês (1682 – 1722):

Foto: Allposters

Muito corajoso, Robert adorava aventura. Era famoso por fazer grandes assaltos, mas morreu em uma batalha contra o capitão britânico Chaloner Ogle e deixou vários admiradores pra trás. 

. Henry Every – O Grande Ben – Inglês (1653 – morte desconhecida):

Foto: Wikipedia

Começou sua vida marítima na Marinha Real Britânica, mas através de um motim, tornou-se pirata e acabou com a fama de um dos mais temidos e bem sucedidos do Mar Vermelho. Depois que ele conseguiu uma grande fortuna, Henry se aposentou, mas não deixou de ser procurado pelos seu rivais. Portanto, sua morte é desconhecida, não se sabe como aconteceu e nem quando. 

. Anne Bonny – Irlandesa (1700 – 1782):

Foto: Wikipedia

Apaixonada por um marinheiro, Anne cansou-se com James Bonny. Porém, ficou decepcionada com a covardia do marido e começou a procurar uma companhia com homens valentes. Foi quando encontrou Calico Jack, um capitão de um navio pirata. Foi condenada à morte tempo mais tarde, porém, afirmou gravidez o que fez com que sua pena não fosse executada. Sua morte ao certo não se sabe como aconteceu. Especula-se que acabou voltando para casa. 

Gostou da história de hoje, marujo? 

Continue acompanhando nossas redes sociais e o nosso blog pra ler mais histórias incríveis como essa. 

Saudações Pirata!

O Monge do Arvoredo

O Monge do Arvoredo

Prontos para zarpar para mais uma Lenda, Marujo?

A navegação de hoje nos leva ao Monge do Arvoredo!

Contam os antigos que, na Ilha do Arvoredo tem uma Furna de Pedra que chamam de Gruta do Monge. Dizem que ela tem esse nome porque ali, em tempos antigos, morava um homem muito misterioso, e que o chamavam de Monge. 

Em uma noite de lua cheia, os pescadores que passavam pela redondeza dizem que apareceu nesta pedra um homem que fazia vida santa e junto dele também iluminou-se uma fogueira. Os pescadores curiosos tentaram saber do que se tratava, e ao se aproximarem, eles encontraram o Monge, que os recebeu carinhosamente. 

Estes pescadores descobriram que ele rezava e ensinava remédios feitos com ervas, então, todo o povo passou a recorrer à ele para curas, rezas e aconselhamentos, e ele atendia à todos. 

Assim como apareceu em uma linda noite de luar, contam que ele também desapareceu à luz da lua, e nunca mais foi visto ali e nem em outro lugar. O que restou do monge foi a Lenda, e a sua pedra em forma de gruta, que ainda pode ser vista na Ilha do Arvoredo. 

Gostou dessa lenda Marujo? Você já conhecia? 

Quer saber mais histórias fascinantes sobre a Ilha de Santa Catarina? 

Continue acompanhando nosso blog e as nossas redes sociais!

.

Saudações Pirata!

A Ilha de Anhatomirim – Proteção das Florestas

A Ilha de Anhatomirim – Proteção das Florestas

Hey Marujo, você sabia que o Brasil é amplo na sua diversidade de Florestas devido a grande variação climática que encontramos ao longo de todo o país? O Brasil é tão grande… no sul frio, no nordeste calor, centro-oeste clima seco… já percebeu isso? Incrível não é mesmo? 

A maior e mais conhecida nacionalmente desses ecossistemas que podemos encontrar por aqui é a Floresta Amazônica, que possui uma grande reserva de fauna e flora. Tem até países que brigam por ela, mas podemos dizer com orgulho que é nossa!

Foto: Embrapa

Em Santa Catarina, uma das mais conhecidas Áreas de Proteção Ambiental está em Anhatomirim que possui 4.612 hectares, sendo 1.964 destes terrestres com Florestas Pluvial Atlântica Preservadas, e os outros 2.648 área de preservação marinha.

Foto: UFSC

Preservar é mais do que defender as árvores, é também proteger a nossa sobrevivência. Dependemos, principalmente, do ar que vem das árvores, mas não somente disto, os animais selvagens e plantas silvestres são importantes pra todo ecossistema. Estamos todos interligados!

Hoje é o Dia de Proteção das Florestas, e você já fez a sua parte? Com algumas ações simples podemos ajudar na proteção não só das Florestas, mas do Meio Ambiente em geral. 

A história de Floripa e Dias Velho

A história de Floripa e Dias Velho

Levantar Âncoras, Içar Velas!! 

Nossa próxima parada é na história de Dias Velho com Piratas em Florianópolis!

Em sua última noite de vida, Francisco Dias Velho despertou assustado quando percebeu que alguém estava invadindo sua casa. Ele tentou lutar contra os invasores, reagiu, mas apanhou muito enquanto suas filhas e esposa também sofriam. Sua vila em chamas e afogado pela fumaça, Dias Velho foi retirado da sua própria casa arrastado pelos Piratas invasores, que gritavam em busca da “Prata!”

Essa invasão dos Piratas à Nossa Senhora do Desterro não seria por acaso, no ano anterior outro navio pirata tinha desembarcado na Ilha, ao qual estava carregado de prata de um roubo em que os piratas tinham feito no Peru. Mas Dias Velho viu e conseguiu impedir juntamente dos moradores de Nossa Senhora do Desterro que atacaram os piratas e eles acabaram fugindo. Porém, aquela prata que ficou no Brasil não ficou em Desterro, e sim, foi enviada para cidade de São Paulo. Foi justamente essa prata, que um ano depois os piratas resolveram buscar. Essa prata e a vingança, em busca de Dias Velho. 

Florianópolis é cheia de incríveis histórias que envolvem todo tipo de encanto, piratas, sereias, lobisomens… e o incrível é refletir sobre isso e perceber o que já se passou por aqui.

Vamos pensar juntos? Imagine: Os piratas chegaram e desembarcaram na praia de Canasvieiras, há mais ou menos 300 anos, com baús cheios de prata que foram deixados na mesma faixa de areia que hoje você fica.  A antiga vila de Nossa Senhora do Desterro foi construída onde hoje é a Praça 15 de Novembro, bem no centro de Floripa. A Igreja onde Dias Velho foi assassinado pelos piratas ficava exatamente onde hoje fica a Catedral Metropolitana de Florianópolis, outro ponto turístico obrigatório para quem quer conhecer a cidade.

Incrível não é mesmo? Você conhecia essa história, Marujo?

Quer ficar por dentro de outras histórias e lendas de Florianópolis? Acompanhe nossas redes sociais e nosso blog!

Lenda da Luz da Bota

Lenda da Luz da Bota

Atenção para a próxima parada, Marujo!

Hoje vamos contar pra você a Lenda da Luz da Bota, você conhece?

Conta a lenda que Durante as pescarias da noite, nos bairros dos Ingleses e no Rio Vermelho, os pescadores avistavam uma pequena luz vermelha sobrevoando. Era pequena mas quando pousava nas dunas ou em algum outro lugar próximo ela aumentava tanto a sua intensidade que dava a impressão de ser uma grande fogueira. Muitas vezes, a luz fazia apenas um passeio rápido e depois, se ninguém mexesse com ela, ia subindo ao céu e desaparecia.

Dizem que o remédio para se proteger era rezar, apesar de saberem que a luz, em princípio, não fazia mal a ninguém. Além da reza havia outros artifícios usados para se proteger da luz, que eram dois: colocar uma faca atravessada na boca ou então desenhar uma estrela de cinco pontas na areia e ficar dentro desta figura. A estrela é conhecida pelo curioso nome de “Sinal de São Cinamão”. Dizem também que era bom sentar na beira d’água, pois era um lugar mais respeitado pela luz e dali ela não se aproximava muito. Mas apesar de todos os cuidados dos pescadores, muitas vezes a luz chegava a ficar muito próximo deixando os pescadores mais temidos.

É ou não é motivo pra se apavorar?

Você já viu a Luz da Bota, Marujo?

Sabe alguma outra lenda? Conte pra gente!

Saudações Pirata!

O Maior Porto Pirata do Brasil!

O Maior Porto Pirata do Brasil!

Conheça o Maior Porto Pirata do Brasil!

Traga a família e os amigos para viver um dia incrível pelos mares do nosso litoral!

Somos responsáveis por proporcionar as experiências mais incríveis em Navios Piratas que levam você a conhecer o encanto do Litoral de Santa Catarina.

Prontos para zarpar, Marujo? O disparo dos canhões anunciam o embarque!

Em alto mar você esquecerá tudo que ficou em terra e viverá uma incrível aventura junto da nossa Tripulação.

A combinação da magia da pirataria com as histórias do século XVIII, te levará para uma aventura fantástica que visita lugares históricos, praias paradisíacas, e mistura diversão e cultura, ação, suspense e comédia. Você jamais esquecerá, esse momento é único!

Você navega e desfruta das mais belas paisagens.

Você vai se encantar pelas praias paradisíacas, e fortalezas históricas que temos para te apresentar! São 16 escunas temáticas e mais de 30 piratas animando todo o passeio.

Venha! Viva um dia de pirata! Estamos esperando por você!

Saudações Pirata!